domingo, 25 de dezembro de 2016

Feliz Natal!


Mais um fim de ano.
Pinheiros montados, repletos dos mais diversos enfeites.
Muitos deles cheios de presentes.
Outros nem tanto.
Luzes piscantes, de todas as cores, simbolizando todas as diversificações.
Pretos, brancos, amarelos...
Azuis e vermelhos, verdes e rosas...
O conforto da estação expressada de formas diferentes, mas transmitindo o mesmo sentimento.
Época em que as diferenças não importam... ou não deveriam importar...
Afinal, sempre torcemos para que o próximo ano seja melhor.
Momento este, que eleva o "eu te amo" ao tópico mais falado
E o abraço ao gesto mais realizado,
Pode transformar, pelo menos nesta época, os lares mais aconchegantes.
Dentre tantas coisas que se pode desejar,
Desejo que os "eu te amo" se tornem frequentes... ditos todos os dias.
E que os abraços sejam tão verdadeiros quanto gostosos!
Que o amor seja sentido por todas as pessoas,
E compartilhado entre todas as raças, cores, pensamentos e corações.
Feliz natal e um próspero ano novo!

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Por Lugares Incríveis - Jennifer Niven


Theodore Finch e Violet Markey encontraram-se no parapeito da torre do colégio em um grande dilema pessoal, ambos testando sua força de reação e sua importância. Nesse dia eles salvaram um ao outro de cometerem suicídio e viraram amigos.
Theodore Finch sempre foi visto como esquisito e problemático, já Violet Markey era parte do grupo popular da escola, ambos em lados opostos da sociedade, mas com problemas e motivações bem parecidos. Finch passa os dias encontrando formas de suicídio e Violet conta os dias para acabar o ano escolar e sair daquela cidade, de deixar o passado ali, onde tudo aconteceu.
Em uma aula de Geografia, o professor propõe um trabalho em duplas, que é para explorar o estado deles e registrar os lugares, às vezes bonitos, às vezes peculiares, mas, como motivação, conhecer os pontos turísticos e reconhecer os pontos bons do seu estado antes de partirem dali em busca de seus sonhos.

“ – Você nunca me perguntou o que eu estava fazendo naquele parapeito. – E fica ali, aberto e pronto pra me contar qualquer coisa, mas por algum motivo não tenho certeza se quero saber. “ - Pág. 197

Com esse trabalho proposto, Finch resolve que quer fazer o trabalho com sua nova amiga Violet, o que faz com que eles passem mais tempo juntos, conheçam mais um ao outro e acabam descobrindo muitas outras coisas também.
Por lugares Incríveis é uma história que trata sobre um tema delicado: Suicídio. Apesar de o tema ser forte, Jennifer Niven consegue passar a história de uma forma leve e contemporânea, e além de mostrar os problemas que muitos jovens passam, ela mostra o lado positivo de se ter amigos, de viver o dia de amanhã, mesmo que o dia de ontem tenha sido pesado e triste.
A forma como as descrições dos problemas e como os pensamentos dos personagens são expostos, fazem toda a diferença, pois você consegue se colocar no lugar deles e sentir as perdas, as dores e as confusões, por que em algum momento, você se sentiu assim também.
Um grande ponto positivo para mim, ao ler essa história, é que não devemos abandonar o dia de amanhã, de conhecer pessoas, pelo simples fato de ela ser diferente da maioria, de que problemas todos nós temos, mas que é possível lidar com eles e seguir adiante, que as vezes basta que alguém nos mostre o lado positivo das coisas e da vida, para percebermos que não vale a pena lamentar o passado, com o futuro pela frente.
Por lugares Incríveis é um livro inspirador, traz o assunto do suicídio que deve ser debatido o máximo possível, para que os pais saibam que, às vezes, os filhos precisam deles, mas eles não percebem isso. Conversar e saber ouvir são pontos determinantes para a decisão de vários jovens perdidos em seus pensamentos, conversar com eles é determinante para salvar vidas e isso é tratado no livro também, assim como a importância da comunicação familiar.
Esse é um tipo de livro que você deve ler e discutir com os amigos, familiares, com quem quiser. Recomendo muito a leitura dessa história.

“Você me faz especial, e Deus sabe o quanto esperei pra ser o tipo de cara que se quer por perto. ” - Pág. 315

Créditos:


Resenha: André Borges
Revisão: Bruno Bolner

Para conhecer e acompanhar o André Borges, siga-o no Instagram e no Twitter! E acompanhe o Ig literário @potterlivros.

Até a próxima página!

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Conto: Os Cavaleiros do Templo

Em uma era, há muito tempo atrás, começaram a surgir relatos de uma fortaleza que escondia todas as respostas do mundo, ao qual pertencia à um determinado deus e este deus, conhecido como o único e verdadeiro. Estes relatos ganharam muitas versões e, com o passar dos anos, tornou-se uma lenda.
Alguns homens, por volta do ano de 1950, enquanto realizavam uma expedição em busca do tal templo (após gastarem uma fortuna e muitos anos nas buscas), encontram uma estrutura que surgiu como mágica no meio do deserto palestino. Ao chegarem ao local, descobrem o templo Krak, a famosa fortificação lendária.
Logo que chegam, encontram o lugar cheio de esqueletos e uma frase meio apagada em um dos muros. Alguns dos homens seguem pelos corredores do templo enquanto o linguista da equipe fica com seus guardas tentando resolver o enigma, e acaba descobrindo algo perturbador...

"Não traga à luz o que deve ficar na escuridão."

Este conto não é uma história de horror clássica, mas tem elementos bem interessantes. Lembra mais uma das aventuras de A Múmia, só que sem o felizes, sãos e salvos para sempre.
Rochett Tavares traz neste conto, uma trama diversificada, contada tanto em primeira pessoa, em algumas passagens do início da história, quanto em terceira pessoa, utilizada no restante. Na primeira parte do conto, o autor se preocupa em imergir o leitor no contexto da narrativa, contando fatos históricos que constroem e desenvolvem o ambiente para a parte principal. Neste período da história, nossos personagens, conhecidos como integrantes da Seita, subordinados da Ordem dos Cavaleiros de Sangue, estão em combate contra um grupo que tenta tomar a fortaleza para si. Entretanto, nos fatos anteriores à este, o autor cita alguns momentos de medo e horror que os habitantes daquele lugar sentiram alguns dias antes. É o momento em que os mistérios começam a ganhar forma.
A segunda parte conta a trajetória de Arthur, Manoel, Sayyid, Ian, Linneaux, entre outros, em busca do templo lendário. A história se completa aos poucos, unindo as peças de ambos momentos do conto, revelando a verdade por trás de uma lenda milenar.
Os aspectos do escritor quanto às descrições das cenas de horror são bem diretas, revelando o que tem de ser revelado, descrevendo detalhes característicos, que vão de grotesco ao nojento, sem rodeios. Alguns aspectos podem até não parecer tão horrível quanto poderia se imaginar, mas se o leitor se preocupar em tentar visualizar aquilo que está sendo contado ou tentar imaginar o que os personagens sentem, poderá ter uma visão mais imersa no horror do conto.
Um elemento bacana, é a relação que o autor dá ao tal deus, tão venerado em seu início, e o verdadeiro mistério revelado no fim. Outro ponto positivo é a preocupação do autor em tentar aprofundar suas personagens, revelando pontos de suas histórias que justifiquem seus atos e suas características.
A leitura é rápida, possui elementos e descrições de horror, a trama é bacana, além do autor utilizar algumas palavras bem incomuns, o que ajuda no vocabulário do leitor. É bacana citar, também, que o autor faz citações que remetem a outras de suas obras. Tavares ainda faz críticas ao poder e religião, ao trazer personagens que estão no poder e se questionam se o que fazem é correto, mesmo sacrificando outras pessoas em pró de servir sua crença, ou que são tão gananciosos, cegados pelas esperanças dúbias de uma vida de riqueza, reconhecimento e poder, que pouco se importam com o que acontece com o próximo.
Este conto faz parte do e-book Abismo, uma coletânea de contos de horror de Rochett Tavares.
Até a próxima página!

Leia também:

terça-feira, 4 de outubro de 2016

A Estrada da Noite

Imagine que você tem fascínio por coisas estranhas e mórbidas, e aquela mania de colecionador que sente a necessidade de obter tudo para deixar sua coleção mais atraente. Aí você encontra um espírito em um site de vendas online e resolve compra-lo. No fim das contas você acaba descobrindo que essa peça na sua coleção foi a pior coisa que você poderia ter...
Bem-vindo A Estrada da Noite!
Judas é uma lenda do Rock que leva uma vida pacata depois de anos de estrada levantando multidões por onde passava. O cara não dispensa uma garota bonita e adora seus cachorros de estimação. Além de ser uma estrela do Rock na geladeira, tem uma coleção de coisas estranhas, como um vídeo de assassinato que conseguiu em uma delegacia de polícia anos atrás.
Em um certo dia, ele recebe a notícia de que estão vendendo um espírito em um site online e decide adquiri-lo. Depois de alguns dias ele recebe um pacote e abre a embalagem, onde se encontra um terno do tal espírito.
A princípio, ele não leva toda a história a sério, mas, após uma experiência perturbadora, ele acaba descobrindo que pode ter feito o pior negócio da vida comprando o fantasma.
Joe Hill criou uma história bastante interessante sobre fantasmas e assombrações. Sua escrita fácil e profunda faz com que o leitor caia dentro da história e consiga sentir o que os personagens estão vivendo. Essa sua habilidade na escrita torna o desenvolvimento da história muito bacana, pois consegue criar ambientes aterrorizantes e que fazem o leitor sentir arrepios. Há cenas muito bem escritas que são dignas de um livro de horror, não ficando atrás dos melhores livros do gênero.
Os personagens também são interessantes a seu modo, sendo bem desenvolvidos e com sua carga adequada de importância para a trama. Os elementos não são simplesmente jogados para o leitor, tendo propósitos determinados no decorrer da história. O que deixou um pouco a desejar é seu final, que acabou se tornando um clichê do gênero.
Apesar da capa indicar um livro espírita (sim, eu que vos escrevo pensei que fosse um livro espírita), não tem muito a ver com o tema.
O livro é uma boa opção para se ler neste mês do horror, sozinho e somente com a luminária acesa. Se você gosta de livros de horror com fantasmas, deve dar uma chance para este livro.
Que os pelos do seu braço fiquem de pé! Até a próxima página.

Posts indicados para o mês do horror:
Frankenstein
Dr. Jekyll & Mr. Hyde
Psicose
3 Contos do Lovecraft
Anjo: A Face do Mal
O Vale dos Mortos + Elevador 16
3 Contos de Horror
Sementes no Gelo

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Infinity Ring: Um Motim no Tempo

Infinity Ring é uma série de livros infanto-juvenis que nasceu com a ideia de fazer com que os livros fossem escritos por pessoas diferentes a cada volume. O projeto, encabeçado por James Dashner (Maze Runner), possui 8 volumes e o primeiro livro, Um Motim no Tempo, foi escrito pelo próprio James Dashner.

Sera e Dak são duas crianças com, aproximadamente, 10 ou 11 anos de idade e vivem em um mundo distópico, onde existe uma organização chamada SQ que comanda praticamente tudo no mundo. Os dois amigos estudam na mesma escola e são apaixonados por física e história. Para eles, qualquer projeto científico ou descobertas históricas são as melhores coisas do mundo. Sera é um prodígio da física e Dak é um admirador e conhecedor impulsivo da história, sempre em busca de livros antigos e conhecer mais do passado.
Em uma excursão da escola, um passeio ao museu da cidade ao qual eles estavam muito ansiosos, acabam presenciando um terremoto que destrói o lugar. O que era um lugar de muito interesse para eles, se torna um cenário de destruição ao acontecer um terremoto, e a culpa disso é da SQ, supõem eles, causadora das fraturas. Estas fraturas são acontecimentos históricos que foram trapaceados para mudar o curso natural das coisas, como, por exemplo, Cristóvão Colombo não ter descoberto a América. E essas fraturas eram orquestradas minuciosamente para que os fatos fossem alterados e beneficiassem alguém. O resultado desses atos são catástrofes climáticas, um mundo controlado pela SQ e as reminiscências, que são como memórias ou visões doloridas de uma vida que alguém deveria ter vivido. Porém, ninguém pode contestar a SQ, que sempre dá um jeito de resolver seus problemas de formas suspeitas.
Em uma tarde fatídica, em que os pais de Dak, dois cientistas que estão trabalhando em um artefato estranho, estão viajando e acabam deixando a chave do laboratório fora do cofre de segurança, Dak e Sera entram no lugar e descobrem o Anel do Tempo. Esse artefato permite a viagem pelo espaço-tempo e é a única coisa que pode possibilitar o concerto das fraturas do mundo.
Nesse cenário, Dak e Sera acabam se envolvendo em uma missão para impedir que uma fratura seja criada. Tudo o que eles precisam são o Anel do Tempo, resolver um enigma para encontrar a data e o local onde precisam estar e tomar cuidado com os guardiões to tempo, ou seja, os capangas da SQ.

A trama é bem desenvolvida e interessante, com personagens carismáticos e espertos. Apesar de serem crianças, os protagonistas conseguem ser mais inteligentes que a grande maioria nos assuntos físicos e históricos. As lacunas são preenchidas com informações relevantes para a história e fazem desta aventura uma experiência divertida.
Além disso, o livro ensina alguns acontecimentos históricos, utilizados de forma contraditória com a realidade devido às fraturas, mas que, ao serem concertadas, coincidem com a realidade.
Outro ponto interessante é a história deste mundo distópico, que está diferente devido às intervenções de uma organização. Esses fatos alterados da história ajudam a criar um ambiente curioso e levanta a questão "E se as coisas tivessem acontecido diferente?". Nesse mesmo aspecto, a possibilidade de concertar essas mudanças, o leitor é levado a se questionar sobre o que faria de diferente se tivesse a oportunidade e se estaria disposto a arriscar a alteração do presente e futuro modificando algo do passado.
As reminiscências fazem uma analogia com a realidade de algumas pessoas, talvez a maioria delas, que pensam que deveriam ter feito outras escolhas e deveriam estar passando por um momento diferente. Esses elementos do livro servem como um incentivo à tentar reverter as coisas que foram feitas de outro jeito e mudar as coisas como estão agora. Causa um sentimento de inspiração a tentar melhorar as coisas, mesmo que não se possa voltar no passado, mas resolvendo as coisas que estão acontecendo no presente.
É um bom livro, de leitura rápida e recomendado para quem gosta de aventuras infanto-juvenis.
Boa leitura e até a próxima página!

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O Último Homem Bom

O Último Homem Bom é um thriller policial, onde Niels Bentzon, um policial de Copenhague, recebe uma missão peculiar, enviada pelas mãos da Interpol.
Niels descobre, então, que sua missão está relacionada a uma crença religiosa, enviada de Veneza, e que consiste em salvar as pessoas boas do mundo. O problema de sua missão é que ele não sabe quem são estas pessoas, nem onde elas moram. E o pior: elas estão sendo assassinadas, uma a uma, seguindo um padrão que ele não compreende. A única semelhança dentre elas é que são encontradas com um hematoma estranho no corpo e todas estão ligadas a questões humanitárias.
Recebendo ajuda de Hannah Lund, um cientista que tinha uma carreira promissora, eles conseguem desvendar o quebra-cabeças de onde e quando serão feitas as próximas vítimas. Contudo, ainda não sabem quem são estas pessoas.
~:~
A trama de A. J. Kazinski (pseudônimo dos dinamarqueses Anders Ronnow Klarlund e Jacob Weinreich), é recheada de suspense e reviravoltas. Ao mesmo tempo em que as informações recebidas fazem total sentido, podem tomar novos significados alguns capítulos adiante. Esta maneira de conduzir a história ajuda a manter o leitor assíduo, brincando com sua curiosidade o tempo todo.
Sua edição em capítulos que remetem a lugares e momentos diferentes, ajuda a manter o clima do livro, conduzindo várias tramas paralelas sem perder o ritmo.
Os personagens são bem construídos, com uma evolução bastante visível durante seus desenvolvimentos, principalmente por se tratar de protagonistas adultos e com uma grande carga de experiência de vida. Seus conflitos interiores e seus medos são colocados em cheque e eles precisam tomar decisões que podem mudar suas vidas, ao mesmo tempo que resolvem a questão principal do trama. A união de dois personagens diferentes, que estão envolvidos em suas vidas pacatas, acaba por funcionar muito bem, porque, ao mesmo tempo que resolvem o caso dos 36 justos, também abre brechas para se aprofundar um pouco na vida destes personagens, acabando por um ajudar o outro em suas questões pessoais.
Outro fator interessante é que o protagonista não é nenhum super detetive que consegue tudo o que quer, tampouco um cara que sentimos dó pelos seus problemas. Seus defeitos e medos ficam explícitos para o leitor, assim como a vida depressiva de Hannah, que tinha tudo para ser a maior cientista do mundo e acabou deslizando para uma vida pacata e triste, se tornando sua própria decepção.
Sua principal e inesperada ideia para o livro, ajuda a manter o suspense durante toda a narrativa. A crença judaica, à qual diz que Deus envia 36 pessoas justas à Terra a cada geração, a fim de manter o equilíbrio do mundo e evitar que o apocalipse aconteça, é muito bem aproveitada. Um dos pontos altos é que estas pessoas justas não fazem ideia de que foram as escolhidas, tornando o trabalho de nossos protagonistas ainda mais difícil. Em um momento você pode ser suspeito e, em outro, pode já não ser.
Esse aspecto religioso do livro se estende apenas até o ponto de trazer ao leitor questões sobre as experiências de quase morte, onde pessoas que quase morreram, relatam o que vivenciaram. Em contraste a isto, temos elementos explicativos da ciência para estes relatos, num constante contraste entre eles, mas de forma bem sutil e sem querer empurrar uma opinião formada ao leitor. É como se fosse só um compilado de fatos, com suas explicações, e deixados a cargo do leitor aceitar um ponto de vista ou outro.
Com protagonistas simples, que não conseguem resolver seus problemas e que são tão comuns, aliados à boa escrita do(s) autor(es) e à trama interessante, O Último Homem Bom é uma boa opção para quem está cansado de suas atuais leituras e quer um empurrão para experimentar um thriller de tirar o fôlego. Haja coração!

Até a próxima página!

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Marley & Eu

O escritor John Grogan escreveu Marley & Eu a fim de homenagear seu cachorro. Em seu livro, ele nos conta muitos fatos da sua vida e de sua família (ele tem esposa e filhos) para que conheçamos a vida de seu peculiar cãozinho de estimação.
O livro é um romance baseado em fatos reais que chegou às listas de mais vendidos no mundo todo por trazer a história de Marley, um cachorro desajeitado e que sempre teve um espírito brincalhão e divertido. Acabou recebendo um filme estrelado por Jennifer Aniston e Owen Wilson.
John e Jenny são um casal jovem e totalmente apaixonados, iniciando suas carreiras profissionais e querendo construir uma família. Para que comecem a ter jeito com a ideia de serem pais, adotam um bichinho de estimação: Marley. O que eles acharam que seria uma tarefa fácil e fofinha, como era na época em que eram crianças e tinham seus cachorros de estimação super educados e comportados, acaba se tornando difícil e muitas vezes constrangedora.
Marley é totalmente o contrário do que eles imaginavam que fosse: destrói a casa toda vez que fica sozinho, morre de medo de temporais e trovões (que faz ele pirar e destruir a casa também), engole tudo o que está ao seu alcance, é incontrolável, extremamente impulsivo e nada educado.
Apesar de todos os seus problemas comportamentais, que geram grandes doses de humor em situações constrangedoras e até comuns, Marley é um cachorro com todas as qualidades de sua espécie: extremamente fiel, amigo e protetor.
Durante as cerca de 300 páginas de uma leitura tranquila e fácil, Grogan relata as características de seu melhor amigo, suas principais façanhas (o cachorro foi até "estrela" do cinema!), os grandes momentos de sua vida com sua família (como o nascimento dos filhos, os medos que sentiram e as mudanças de emprego e cidade) e nos dá muitas informações a respeito da raça dos labradores, que é a raça do cãozinho Marley (que de "zinho" não tem nada). 
O livro é bem construído, tem momentos engraçados, outros tristes, que faz cair lágrimas das pessoas mais emocionais, e diverte o tempo todo. É uma boa leitura para um final de semana, pois você nem percebe que o tempo passa e a leitura avança rapidamente.
Indicado, principalmente, para quem gosta de animais de estimação e/ou cachorros.

Boa leitura e até a próxima página!

terça-feira, 12 de julho de 2016

Aniversário ~Paginando: 2º ano - RESULTADO! (Atualizado)

O Blog Paginando comemorou o seu segundo aniversário neste dia 11/07 e organizou um sorteio para presentear 2 leitores do blog. A premiação, como não poderia deixar de ser, consiste em 2 livros:




As regras da promoção podem ser conferidas nesta postagem.

Sem mais delongas, vamos aos ganhadores! Que rufem os tambores...


PARABÉNS!! Esperamos que vocês gostem e se divirtam lendo seus novos livros. Entraremos em contato com os dois sorteados para pegar os dados para envio dos prêmios.



FELIZ ANIVERSÁRIO BLOG PAGINANDO! \O/





[ATUALIZAÇÃO]
A vencedora Aleska Lemos não informou um e-mail válido e não conseguimos contato, portanto foi desclassificada e realizado novo sorteio.

[ATUALIZAÇÃO 2]
A vencedora Pâmela não respondeu ao e-mail de contato e, portanto, foi desclassificada e realizado novo sorteio.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Lugar Nenhum

Neil Gaiman é um escritor bastante conhecido. Contudo, ainda não tinha lido nenhum livro seu. Minha primeira experiência com ele, foi através do livro Lugar Nenhum.
Neste livro, Neil cria um mundo fantasioso sob Londres, conhecida como Londres de Baixo. Consequentemente, os moradores de Londres de Baixo chamam a Londres que conhecemos de Londres de Cima. Estas duas cidades estão ligadas e há vários meios de se encontrarem, porém, os habitantes desta nova Londres, bastante peculiares, diferentes e poderosos, com costumes estranhos e habilidades interessantes, não são muito notados na Londres de Cima, sendo praticamente invisíveis e imperceptíveis aos habitantes da Londres de Cima. E todo habitante que acaba por encontras a Londres subterrânea acaba se tornando parte dela e ficando excluído de sua vida anterior.
A história começa com a apresentação de Richard, um cidadão da Londres de Cima. É um cara trabalhador, com planos de vida junto a sua namorada, mas que se sente desconfortável por não ser tudo o que agradaria a família da namorada. Antes de chegar a Londres, recebeu uma "profecia", que dizia para ter cuidado com as portas.
Door é uma garota com o poder de abrir portas, que acabou de perder sua família, assassinada recentemente por 2 capangas brutais. Em um fuga pela sobrevivência, Door abre uma porta para Londres de Cima e dá de cara com Richard. Toda ensanguentada e suja, sem forças, Door acaba recebendo ajuda dele. Richard a leva para passar a noite em sua casa, para que ela possa se recuperar, enquanto pensa no que fazer a respeito.
Na manhã seguinte, ela pede que Richard lhe faça um favor, que entre em contato com o Marquês de Carabas, um senhor meio maluco, morador da Londres de Baixo e o único em quem Door poderia confiar. Richard topa e vai até a cidade subterrânea.
Depois de realizar a tarefa, sua vida acaba sofrendo as consequências de ter entrado em contato com aquele mundo novo: ninguém mais o nota, sua namorada não lembra-se dele, não tem mais seu trabalho e sua casa está sendo passada pra frente. Richard acaba por escorregar para a Londres de Baixo sem perceber. Como ele é novo na cidade e as chances de sobreviver são muito baixas, pois a violência é constante e sem discrepância, Door resolve convidá-lo a se juntar a ela na busca pelo assassino de sua família e entender o porque isso ocorreu. Ele aceita e, com a parceria do Marquês de Carabas, partem em busca de desvendar esse trágico mistério.
A relação de Door e Richard já era premeditada, pois a profecia da senhorinha sugeria problemas com "portas". Door é porta em inglês, além de que a personagem tem o poder de abrir portas. O autor toma alguns cuidados durante a narrativa a fim de surpreender em momentos oportunos. Esta relação é apenas um indício do que viria.
Apesar da história ser bacana, não consegue emplacar um bom ritmo no início e, até mais da metade, se torna meio desinteressante. Nesse período, o autor passa pela construção das personagens e suas relações, e pela descrição dos ambientes. Depois de um núcleo bem formado, as coisas começam a tomar forma e a ficar mais interessantes.
Com as descobertas que vamos fazendo e com os acontecimentos inesperados, o autor consegue amarrar bem as pontas no seu final, surpreendendo em diversos momentos.
É uma boa diversão e um bom livro, mas deixa de ser tão atraente por não conseguir prender o leitor desde seu início.

O que você faria se escorregasse para a Londres de Baixo?

Até a próxima página!

quarta-feira, 15 de junho de 2016

A que pé anda a meta de leitura 2016?

A meta de leitura está a todo vapor. Para não nos perdermos e para quem não acompanha o Skoob, este post irá mostrar a que pé anda a meta de leitura 2016.
Para os livros já lidos, há a marcação [DONE] e para as leituras que estão em andamento há a marcação [DOING]. Os demais livros ainda não foram lidos e devem ser lidos até o fim do ano. Para os que ganharam post aqui no blog, haverão links no título do livro.

1) Golem e o Gênio, de Helene Wecker. [DONE]

2 e 3) Os dois volumes de Infinity Ring: Um Motim no Tempo e Dividir e Conquistar, do James Dashner.

4) A Escrava Isaura, de Bernardo Guimarães.

5) Quincas Borba, do escritor Machado de Assis.

6) Lugar Nenhum, de Neil Gaiman. [DONE]

7) O Coração dos Heróis, do australiano David Malouf. [DONE]

8) A Estrada da Noite, é de autoria de Joe Hill.

9) O Último Homem Bom, de A.J. Kazinski. [DOING]

10) A Fúria dos Reis, do grande George R.R. Martin.

11) Marley & Eu, de John Grogan. [DONE]

12) O Silmarillion, de J.R.R. Tolkien.

13-18) Série Os Imortais, da escritora Alyson Noël: Para SempreLua AzulTerra de SombrasChama NegraEstrela da Noite e Infinito[DONE]

Faltam 8 dos 18 livros da meta. Menos da metade e nem estamos na metade do ano. É um bom sinal! Para ficar por dentro das leituras, siga-me no Skoob.

Não esqueçam de participar do aniversário de 2 anos do blog!
Até a próxima página!

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Aniversário ~Paginando: 2º ano

SORTEIO!! \o/ \o/ \o/
O Blog ~Paginando estará comemorando mais um aniversário dia 11 de julho. Como não foi possível comemorar direitinho no ano passado, vamos fazer uma festinha íntima (a.k.a sorteio) para a data não passar em branco.
Como é o aniversário de 2 anos e o blog é literário, sortearemos 2 livros para nossos leitores, ou seja, vocês. Para os felizardos, teremos como prêmios um volume de O Pequeno Príncipe e um volume de Os Contos de Beedle, o Bardo.

Certo. E como você pode participar? Basta que você preencha os requisitos do sorteio no Rafflecopter. E há a opção para divulgar a promoção no twitter e ganhar mais uma chance de ganhar ;)

Mas antes de correr participar, vamos para as regras do sorteio:
  • O sorteio é válido somente para endereços no Brasil e que sejam válidos para entrega pelos Correios. O custo de envio é de responsabilidade do Blog Paginando;
  • Para que a inscrição seja validada, é necessário que seu comentário possua uma frase com mais de 3 linhas de texto. Comentários sem nome e e-mail para contato serão desclassificados, pois não teremos como entrar em contato sem estes dados;
  • Serão válidos os comentários postados das 12:00h do dia 01/06/2016 até as 12:00h do dia 11/07/2016;
  • Serão 2 vencedores, diferentes, que não sejam de perfis meramente para promoções, e valerá somente um prêmio por vencedor;
  • Não será possível trocar o prêmio. A troca de prêmio entre vencedores poderá ser realizado sob acordo de ambos;
  • O sorteio será realizado pelo Rafflecopter, a ser realizado no dia 11 de julho de 2016 e o resultado será divulgado através de um post aqui no blog no dia 12 de julho de 2016;
  • Cabe aos administradores entrar em contato com os vencedores através do e-mail do comentário. Os vencedores terão 2 dias após a data de publicação do resultado da promoção para responder ao primeiro contato;
  • Não havendo resposta dos vencedores, será realizado um novo sorteio entre os participantes;
  • Os prêmios serão entregues nos Correios para envio em até 20 dias após o resultado e não será de responsabilidade do Blog Paginando ou de seus administradores qualquer tipo de extravio, dano, atraso ou não entrega ao destinatário;
  • O primeiro vencedor será contemplado com um volume do livro O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry. O segundo vencedor será contemplado com um volume do livro Os Contos de Beedle, o Bardo, de J.K. Rowling;
a Rafflecopter giveaway
Participe da nossa festinha de aniversário e saia ganhando um prêmio bacaninha.
E para mudar um pouquinho nossa frase final de post, deixamos uma citação bastante conhecida:

"Feliz Jogos Vorazes e que a sorte esteja sempre a seu favor!" - Jogos Vorazes, de Suzanne Collins.

terça-feira, 24 de maio de 2016

O Coração dos Heróis

O Coração dos Heróis é um pequeno trecho na gigantesca batalha em Troia. Aquiles cresce com seu meio irmão Pátroclo e ambos acabam indo para a guerra contra os troianos. Porém, num dia, Pátroclo se faz passar por Aquiles e vai à luta, contra Heitor. Contudo, ele não se sai bem e acaba sendo morto pelo seu oponente.
Ao ver Pátroclo morto, Aquiles decide se vingar tirando a vida de Heitor. A simples morte de seu inimigo não satisfaz sua ira e desejo de vingança, o que o faz capturar o corpo de Heitor e, sob posse do corpo, subjuga-o a diárias violações, amarrando-o a sua carroça e arrastando-o a fim de sanar sua tristeza pela perda de seu meio irmão.
O pai de Heitor, Príamo, como todo pai, só deseja realizar os rituais sagrados e enterrar seu filho devidamente, mas é impossibilitado devido as circunstâncias. Resolve, então, seguir o coração e realizar algo que ninguém ainda fez, buscar o diálogo e convencer o inimigo a permitir que um pai possa enterrar seu filho.

Voltemos à Troia da Grécia Antiga. Em meio a um dos maiores acontecimentos da literatura, David Malouf reconta alguns momentos conhecidos na Ilíada, de Homero, mas vai além, incluindo fatos que não foram contados na obra original.
Neste livro, Malouf insere o sentimentalismo dos nossos heróis, tanto Aquiles quanto Príamo, e o explora ao ponto de transmitir a tristeza pela perda que ambos personagens carregam.
Príamo se destaca como um homem que acredita que realizar uma proeza nunca tentada antes, principalmente em uma guerra na qual se arriscaria a conversar com o inimigo em suas terras e pedir-lhe que devolva o corpo de seu filho, seria a solução para enterrar seu primogênito. Seu coração, que está em trevas, o faz agir de forma peculiar e acreditar que Aquiles, por também estar sofrendo pela perda de um ente querido, concederia a um pai aflito o direito de enterrar um filho.
Aquiles, por outro lado, após matar Heitor, acaba tendo sua vida coberta por uma penumbra, onde somente a tristeza reina, e não consegue satisfazer seu desejo de vingança pela morte de Pátroclo. Passa dias arrastando o corpo já sem vida de seu inimigo, em uma tentativa de aliviar sua dor. Porém, em nenhum momento passa-lhe pela cabeça o que acontece dentro de Troia, que um pai sofre tanto quanto ele e não pode realizar seus rituais de despedida.
O autor aborda um lado dos personagens que, mesmo em meio a uma guerra, mostra que inimigos podem compartilhar dos mesmos sentimentalismos, das mesmas tristezas e, mesmo sendo inimigos, podem compartilhar sua dor. O Coração dos Heróis é um breve, porém bonito momento, em uma das grandes guerras já travadas por aí.
Até a próxima página!

terça-feira, 10 de maio de 2016

Half Bad

Half Bad conta a história de Nathan, filho de uma bruxa da Luz com um bruxo das Sombras, que sofre constantemente por ser considerado ''meio código'' pelo Conselho dos bruxos da Luz e uma aberração no resto do mundo bruxo. Seu pai não é apenas um simples bruxo das Sombras, mas sim o mais cruel e poderoso do mundo dos bruxos e, por isso, o mais procurado também. Nathan, vive com a avó e seus meio irmãos, todos filhos de bruxos da Luz. É muito apegado ao seu irmão do meio Arran, que acredita que Nathan não será como seu pai, e odiado pela irmã mais velha Jessica, que acha que o menino deveria estar morto e que foi o causador da morte da mãe.
Nathan passa frenquentemente por avaliações no Conselho dos bruxos da Luz para se ter o controle se ele se tornará um perigo ou não à sociedade dos bruxos da Luz, já que é o único bruxo meio sangue na história.
Até aí, a vida de Nathan é um saco. Tudo muda quando o garoto conhece Annalise, uma bruxa da Luz por quem o garoto se apaixona e que vem de uma família de caçadores de bruxos das Sombras, que coloca Nathan em encrencas com seus irmãos, também caçadores, e que odeiam o garoto.
Nathan é preso, separado da família e levado para longe de todos onde recebe um treinamento até fazer 17 anos, que é quando finalmente ele se tornará um bruxo maior de idade e se saberá se o menino puxou para o lado do pai ou da mãe.
Mas para isso acontecer, Nathan precisa receber os três presentes que todo o bruxo recebe quando atinge a maioridade. Sem estes presentes ele não descobrirá qual é o seu dom. Cada bruxo tem um dom, invisibilidade, poder de cura, poções, se transformar em outras pessoas, em animais e assim por diante. O problema é que Nathan acaba fugindo do Conselho e não sabe a quem recorrer para receber os presentes.
No meio de tudo isso ele encontra pessoas que conheceram seu pai e que o ajudam ao longo de sua trajetória a descobrir coisas de seu passado que nunca lhe foram contadas, além de pessoas por quem Nathan ganha feição e se tornam amigos.
O desfecho desta história acaba por nos surpreender e deixa-nos com curiosidade de saber o que acontece no próximo livro. A história de Nathan é realmente muito boa e vale muito a pena ler o livro. Para quem gosta de livros sobre bruxos, é uma possibilidade de mundo bruxo a mais para desvendar, se divertir e comparar com outras histórias.
Half Bad é uma trilogia, de Sally Green, e, até o momento, só foram publicados dois livros no Brasil, o último ainda sem data para lançamento.

Até a próxima página!

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Leituras de abril + atualizações

Como todo post de leituras e atualizações do mês, seremos diretos. Em abril, as leituras foram poucas, porém muito divertidas, e os 2 posts publicados foram os seguintes:

Posts:
As leituras do mês foram:

Anderson 
  • conclusão de Half Bad - Sally Green, livro que conta a história de um jovem que é monitorado por um conselho de bruxos da luz, a fim de descobrir se ele se tornará um bruxo das sombras, enquanto ele precisa lidar com o preconceito de ser um bruxo meio sangue.
Bruno 
  • Conclusão da leitura de O Coração dos Heróis - David Malouf, que brinca com a guerra de Tróia, acrescentando um trecho sobre Príamo e seu objetivo de recuperar o corpo de seu filho, Heitor, que está sob poder de Aquiles.
  • Conclusão da leitura de Un Mundo Feliz - Aldous Huxley (edição em espanhol de Admirável Mundo Novo), que narra o funcionamento de um mundo distópico, onde as pessoas são fabricadas em laboratório e condicionadas a viver de certos modos, enquanto um selvagem, alguém que é de fora desse mundo, acaba entrando em contato com esta realidade;
  • Death Note Black Edition #2;
  • Death Note Black Edition #3;
  • Início da leitura de Marley & eu - John Grogan, que está na meta de leitura para 2016.
Até a próxima página!

quarta-feira, 13 de abril de 2016

30 livros para ler antes dos 30

Se assim como eu, você já está pensando em quando chegar aos 30 anos, deve saber que há coisas que devemos fazer antes de alcançar tal idade. Entre estas coisas, está esta lista de 30 livros para se ler antes dos 30. Esta lista de livros foi publicada por Tyler R. Kane no Paste Magazine.
Dentre os títulos sugeridos, há alguns livros que não são encontrados em edições em português, então manteve-se o título original.

  • As Incríveis Aventuras de Kavalier e Clay - Michael Chabon
  • Americanah - Chimamanda Ngozi Adichie
  • The Art of Fielding - Chad Harbach
  • A Fantástica Vida Breve de Oscar Wao - Junot Diaz
  • Cloud Atlas - Atlas das Nuvens (título em Portugal) - David Mitchell
  • The Collected Works - Amy Hempel
  • As Correções - Jonathan Franzen
  • O Jogo do Exterminador - Orson Scott Card
  • Uma Vida Iluminada - Jonatan Safran Foer
  • Fates and Furies - Lauren Groff
  • Clube da Luta - Chuck Palahniuk
  • Geek Love - Katherine Dunn
  • O Livro do Cemitério - Neil Gaiman
  • Harry Potter e a Pedra Filosofal - J.K. Rowling
  • Alta Fidelidade - Nick Hornby
  • A Bússola de Ouro - Philip Pullman
  • O Guia do Mochileiro das Galáxias - Douglas Adams
  • Kafka à Beira-mar - Haruki Murakami
  • A Vida de Pi - Yann Martel
  • O Senhor dos Anéis - J.R.R. Tolkien
  • O Homem do Castelo Alto - Philip K. Dick
  • Midlesex - Jeffrey Eugenides
  • The Monkey Wrench Gang - Edward Abbey
  • O Nome do Vento - Patrick Rothfuss
  • Orys e Crake - Margaret Atwood
  • As Vantagens de ser Invisível - Stephen Chbosky
  • A Estrada - Cormac McCarthy
  • The Sparrow - Mary Doria Russel
  • Sula - Tony Morrison
  • A Visita Cruel do Tempo - Jenifer Egan

  • Dá pra perceber que não é qualquer lista, não é mesmo?
    Eu só li 6 dos livros listados (14, 16, 17, 20, 24, 26). Gostaria de poder ler todos eles e seria bacana se conseguíssemos todos. Diz a lenda que quem não ler estes livros antes dos 30 terá muito azar. mentira

    Você já leu algum dos livros listados?
    Deixe seu comentário e até a próxima página!

    sexta-feira, 8 de abril de 2016

    Leituras e atualizações de março/2016

    Estamos de volta com o leituras e atualizações: o nosso post rápido com tudo o que rolou no blog e as leituras que realizamos.

    Recebemos o Prêmio Dardos, indicado pelo nosso parceiro Universo Transviado, que visa reconhecer o esforço dos blogueiros pela sua contribuição com o mundo. Clique aqui para acessar o post.

    Também fomos marcados e respondemos a Tag: Irmandade das blogueiras do mundo. E sim, mesmo que não tenhamos uma integrante feminina na equipe, resolvemos responder. O texto você pode acessar clicando aqui.

    Foi ao ar o post sobre a série Os Imortais, da escritora Alyson Noël, que conta a história de amor juvenil entre pessoas imortais, que ficam em busca da felicidade e da possibilidade de poderem ficar juntos de verdade. Leia o texto.
    Os seguintes livros foram lidos no mês de março (iniciadas e/ou concluídas):
    Por Bruno
    1. Infinito - Alyson Noël (Os Imortais - livro 6)
    2. O Coração dos Heróis - David Malouf
    3. Un Mundo Feliz - Aldous Huxley
    Por Anderson
    1. Half Bad - Sally Green
    Em breve teremos mais posts sobre nossas leituras.
    Até a próxima página!

    sábado, 26 de março de 2016

    Os Imortais

    Em janeiro e fevereiro, resolvi ler uma das primeiras séries que comprei: Os Imortais. Também partiu de mim colocar na minha meta de leitura para o ano, pois ela estava lá num cantinho, esquecida e pedindo para ser lida. E eu o fiz.
    Os Imortais é uma série que conta um romance adolescente envolvendo uma menina, Ever, que sofreu um acidente e teve uma experiência de quase morte, como se ela tivesse morrido e voltado à vida, e que descobre algumas coisas estranhas nela mesma. Ever consegue ouvir os pensamentos dos outros, enxerga auras, descobre toda a vida de alguém através de um simples toque, lê livros só de pegá-los, vê o futuro.
    Ao mesmo tempo que ela precisa se recuperar da perda de toda sua família, precisa se adaptar à nova vida ao lado de sua tia Sabine e encarar a nova escola. Seus únicos amigos são Miles e Haven, até aparecer Damen e virar seu mundo de cabeça para baixo.
    É através de Damen que Ever se descobre uma imortal. Os imortais são pessoas que beberam um líquido "mágico", criado pelo próprio Damen, e que ganham vida e beleza eternas, além de poderes, força e habilidades especiais. A única coisa que eles precisam fazer, é beber o elixir, a tal bebida mágica, por toda a eternidade. E apenas um gole já lhes dá, pelo menos, uns 150 anos de vida. Esse elixir é o equivalente ao sangue para os vampiros. Mas os imortais não são vampiros, e isso fica bem claro.
    Então, Damen chega na vida de Ever e tudo começa a mudar. Ela começa a descobrir coisas sobre suas vidas antigas, as formas como morreu, a maneira como Damen sempre acabava indo parar em seu caminho, até que se apaixona pelo cara. Durante os livros, eles nunca conseguem ficar juntos de verdade, porque sempre tem alguém ferrando com a vida dos dois: uma ciumenta e louca por Damen, um louco de tesão por Ever, um amigo que sempre aparece na vida deles e acaba atrapalhando em tudo, uma amiga psicopata, ritual de magia negra, envenenamentos, pirralhos... e por aí vai.
    A história não muda muito do que já conhecemos: um mocinho e uma mocinha querendo ter seu "felizes para sempre", sempre encontrando barreiras a serem ultrapassadas para conseguirem a felicidade que procuram. E no meio disso tudo, elementos de magia, fantasia e aventura.
    Os personagens são bem construídos, com um desenvolvimento razoável, porque as mudanças maiores ocorrem com os personagens secundários, enquanto os protagonistas 1) ou não mudam; 2) ou mudam só nos últimos 2 livros. Um dos personagens mais legais é Roman, que é um dos antagonistas por 3 livros. Ele é o mais interessante e bem desenvolvido.
    Há momentos em que é um dramazinho juvenil que enche o saco, mas, também, há momentos em que a história dá uma guinada bacana e fica bem divertida, contando com algumas reviravoltas e alguns momentos chave interessantes.
    Porém, a sua trama principal gira em torno da busca da possibilidade dos protagonistas transarem, e isso me deixou bem insatisfeito, porque eu não queria ler 6 livros pra conhecer uma história em que os carinhas ficam correndo pra lá e pra cá, enfrentando 1001 coisas para, no fim das contas, poderem ter uma relação sexual. E sério, essa busca frenética por esse prazer acontece durante os 6 livros.
    Não entendi a necessidade e a motivação da autora escrever uma história com esse pano de fundo, mas fazer o quê? Achei demasiado desnecessário e desinteressante.
    Não fossem os personagens secundários, a trama teria sido uma chatice só. Haven é a que muda da água pro vinho o tempo todo, sempre procurando se enturmar e se inspirando em tudo o que acha que pode ser cool; Miles é um garoto que quer seguir carreira no teatro e vive procurando um namorado; Sabine é uma tia bacana e careta ao mesmo tempo, sempre se preocupando com a sobrinha enquanto procura um relacionamento estável; Ava é uma vidente engraçada.
    Talvez estes livros não sejam interessantes para muitos leitores, mas pode agradar quem gosta de livros como os da saga Crepúsculo. Eu, particularmente, não achei uma história tão legal. Mas, enfim...
    A escrita da autora é muito fácil e rápida. A revisão dos primeiros livros é bem feita, mas nos últimos, despenca um pouco e fica razoável. Achei as capas terríveis, horrorosas (odeio capas com fotos de pessoas).
    Também encontrei uma inconsistência no texto, onde Ever diz ser impossível enxergar a aura de um imortal em um momento específico, quando, durante toda a trama, é mencionado que imortais não tem auras. It doesn't make sense. Também achei que deveriam ter inserido em todos os livros o anexo com as informações sobre as auras, não apenas no primeiro volume.
    Meu veredito final é: gostei de umas coisinhas no meio da história, de algumas relações com a cultura pop, de algumas reviravoltas, dos personagens secundários, de Roman, mas não curti muito a motivação da história, os protagonistas são meia boca, tem uns elementos meio sem noção no meio, achei muito livro pra pouca trama e um final bem sem graça.
    A série Os Imortais é de autoria de Alyson Noël e é composta pelos livros Para Sempre, Lua Azul, Terra de Sombras, Chama Negra, Estrela da Noite e Infinito.
    Até a próxima página!

    sábado, 19 de março de 2016

    Tag: Irmandade das blogueiras do mundo

    Março está sendo um mês ótimo! Após o blog receber o Prêmio Dardos, a linda da Zélia, do Purple Memories, indicou o Paginando para responder a tag: Irmandade das blogueiras do mundo. Ficamos muito felizes com a marcação! Muito obrigado! :D
    Esta tag, aparentemente, deveria ser respondida por blogueiras (pessoas do sexo feminino), mas, como aqui no blog não temos nenhuma menina, os meninos vão responder com o maior prazer.

    As regras são:
    1. Inserir a imagem da tag;
    2. Agradecer o blog que te indicou;
    3. Responder as 10 perguntas;
    4. Indicar 10 blogueiras e avisa-las;
    5. Criar 10 novas perguntas para suas indicadas.
    Certo da sua compreensão e de que estamos de acordo que respondamos a tag... vamos ao jogo de perguntas e respostas!

    1 - Qual sua banda preferida?
    Bruno: A banda que mais venho escutando, desde que surgiu, é a Pitty. Sempre acompanhei a trajetória da banda, ouvindo seus discos e me identificando com a sonoridade das músicas e com a poesia e crítica das letras.
    Anderson: Minha banda favorita, com certeza, é Smiths. Ouço as músicas da banda há mais de cinco anos e não me canso, Morrissey (vocalista e principal compositor) encanta, inspira e me dá paz com suas letras e melodias lindas.

    2 - Qual livro mais marcou sua vida?
    Bruno: Para mim, a história que me marcou muito e me traz boas lembranças é Harry Potter. A história toda, contada desde o primeiro livro até o último. Acho que todos os elementos utilizados no desenvolvimento, as questões levantadas e discutidas são muito bacanas. Além de ser uma história de fantasia, traz muitos ensinamentos e pensamentos que podem ser aproveitados.
    Anderson: Eu diria Harry Potter, mas prefiro dizer que Exorcista marcou minha vida, no sentido de que me levou ao mundo da leitura. Antes d'O Exorcista, eu não me interessava por leitura e livros, após lê-lo, eu não parei mais. Se for pra pensar na vida e coisas que aprendi, escolho Harry Potter, pois aborda coisas sobre a vida e de como encará-la, além da história ser maravilhosa e muito bem escrita.

    3 - Se pudesse passar um dia com algum ídolo quem seria?
    Bruno: Patrick Rothfuss.
    Anderson: Morrissey <3

    4 - Prefere carro ou moto?
    Bruno: Carro.
    Anderson: Carro.

    5 - Qual era seu maior sonho quando criança?
    Bruno: Eu queria viajar para o espaço! Hoje já não acho essa ideia tão interessante assim, apesar de achar o espaço um lugar incrível e misterioso.
    Anderson: Viajar o mundo. Eu ainda pretendo fazer isso, e vou fazer.

    6 - Qual personagem de livro mais te conquistou?
    Bruno: Kvothe, do livro O Nome do Vento. E me conquistou pela forma como foi construído. O caráter, a dedicação, o passado do personagem, as atitudes tomadas, fazem dele um personagem fantástico, interessante e inspirador. As características da personagem, a forma de pensar, as ideias transmitidas, o jeito de agir e tratar as pessoas, tudo me faz achar esse personagem sensacional.
    Anderson: Bridget Jones, do Diário de Bridget Jones. Ela é demais e me identifiquei muito com ela, muito mesmo. Minha preferida!

    7 - Se pudesse ter participado de um filme qual seria?
    Bruno: O Senhor dos Anéis.
    Anderson: Harry Potter ♡

    8 - Quais seus planos para o futuro?
    Bruno: Falar inglês fluentemente, visitar os Estados Unidos, Irlanda, Inglaterra e Nova Zelândia, e me estabelecer profissionalmente.
    Anderson: Estudar, continuar o inglês e trabalhar com algo que eu goste.

    9 - Por qual motivo criou um blog?
    Bruno: Para expor minhas opiniões acerca dos livros. Principalmente por ter encontrado muitas opiniões favoráveis a certos livros, que me deixaram com vontade de ler, mas que acabaram não sendo muito bacanas. É uma forma de conseguir conversar com pessoas que tenham, ou não, a opinião parecida com a minha.
    Anderson: Eu não criei um blog, fui convidado pelo meu amigo Bruno para participar do blog dele.

    10 - O que te motiva a continuar com seu blog?
    Bruno: Os amigos que fiz, o gosto por poder compartilhar minha opinião e saber que outras pessoas estão lendo o que escrevo. Acho esse retorno bacana e me deixa feliz.
    Anderson: Como o blog não é meu, o que me motiva querer estar aqui é aprender a como escrever num blog e como levar a sério isso, pois você precisa de tempo pra estar escrevendo e pensando no próximo post, e com isso, talvez futuramente, ter o meu próprio blog.

    Escolhemos as seguintes blogueiras para responder a tag:


    As perguntas são:
    1 - Quais autores você mais lê?
    2 - Quais suas 3 melhores séries da vida?
    3 - Você joga videogame?
    4 - Prefere ir ao cinema ou filminho em casa?
    5 - Você faz/fez cosplay?
    6 - Qual o post de seu blog mais visitado?
    7 - O que você mais gosta de escrever?
    8 - Há quanto tempo você se dedica ao blog?
    9 - Qual post mais lhe dá orgulho?
    10 - O que você faz quando percebe que escreveu uma besteira e seu post está no ar?

    Até a próxima página!

    sábado, 12 de março de 2016

    Prêmio Dardos

    Olá!
    Sim, o blog passou um tempo sem atualizações porque precisei dar uma atenção especial á algumas coisas da vida e, também, porque li os 6 volumes da série Os Imortais de uma vez só e acabei ficando sem ideias para postar aqui. E, mesmo depois desta pausa de 1 mês, eis que o querido Carlos, do maravilhoso Universo Transviado, me agraciou com uma indicação ao Prêmio Dardos.
    Este prêmio foi criado por Alberto Zambade, autor do blog Leyendas de "El Pequeño Dardo" El Sentido de Las Palabras, e consiste em um selo virtual para reconhecer o esforço de blogueiros que se dedicam, de alguma forma, para demonstrar suas ideias e valores através de postagens com algum princípio transformador, seja ele literário, cultural, ético ou pessoal, de forma a expor sua opinião e criatividade através do poder das palavras.
    Inicialmente, Alberto indicou 15 blogs que ele considerava merecedores do prêmio, e estes deveriam passar adiante a proposta da premiação, transmitindo a ideia e indicando outros blogs que também seriam merecedores.
    O desencadeamento disso tudo chegou, então, ao Blog Paginando! Desta forma, não poderia deixar passar este momento único do blog, onde um reconhecimento é muito importante para nos mantermos nos trilhos e escrevendo.

    As regras são simples e claras:
    1. Exibir a imagem do selo;
    2. Indicar apenas blogs que se encaixem nos requisitos;
    3. Mencionar e adicionar o link do blog premiado;
    4. Avisar aos blogs selecionados.
    Os indicados pelo Blog Paginando são:

    Parabéns aos indicados e continuem trabalhando para manter a qualidade de suas postagens. Espero sempre poder voltar e visitá-los nessa internet gigante. E, para fins de esclarecimento, estes são os blogs que tenho visitado ultimamente, além do Universo Transviado, foram os únicos que achei se adequarem ao prêmio.
    E ao Carlos, não há como agradecer adequadamente por esta indicação. Então, opto pelo simples e que deve dar conta do recado: Muito obrigado!

    Até a próxima página!

    quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

    O que é importante num livro?


    Tenho percebido algumas coisas que ocorrem com certa frequência, mas não vejo as pessoas comentarem (pelo menos não tive acesso, caso alguém faça esses comentários) e fiquei bastante incomodado com estas situações que envolvem os livros: a qualidade dos livros que consumimos.
    Precisamos deixar claro que, ao citar o termo "qualidade" estou me referindo ao visual e revisão do livro, e não se o texto é bom ou ruim, ou se tem sua relevância para a literatura. Sou da opinião que cada um tem o direito de ler o que quiser e, se um livro que não gostei foi bom para outra pessoa, ótimo! Assim ele já cumpriu com seu papel.
    Porém, para que possamos ter uma boa experiência com os livros, são necessários alguns pontos importantes: história interessante, revisão bem feita e edição bonitinha.
    Continuamente me deparo com vários casos de revisão do texto X edição do livro.
    No último caso desta "batalha", o livro era maravilhoso! Com uma capa linda, usando tons de verde, azul e laranja que criam um contraste bem bacana. Em capa dura, com um material que dá a sensação de ser aveludado, muito bom de tocar e com detalhes em dourado. Dentro do livro, páginas coloridas em material de boa qualidade e um marcador em fita de cetim. Primeiro ponto marcado.
    A história é bacana e bem diferente, com personagens bem construídos, uma trama bem desenvolvida, sem momentos massantes, desperdício de texto e personagens dispensáveis. Outro ponto positivo.
    Aí vem o terceiro quesito, revisão, e me deparo com um aspecto que me deixou decepcionado. Palavras escritas de forma errada, falta de concordância entre artigos e sujeitos, palavras "grudadas"... Um monte de situações que prejudicam a leitura, incomodam o leitor e fazem com que a experiência seja decepcionante. Se você lê de forma crítica, quanto a utilização das regras da língua, desiste do livro logo no início. ~Ponto negativo * 3.
    Com esta situação, me questionei: Porquê as editoras têm deixado a revisão dos livros de lado, dando ênfase à estética do livro?
    A única resposta que me vêm à cabeça é: dinheiro. Se o livro tá lindão, esteticamente falando, porque se incomodar em gastar dinheiro com a revisão do texto?
    Infelizmente, não vejo as pessoas se importando com este aspecto, ficando à mercê de edições mal revisadas, pagando caro por livros que não merecem o valor que custam, e que se conformam com o texto precário que estão lendo. Tenho a impressão de que o comodismo tomou conta de mais esta fatia da sociedade, que estão satisfeitos com material de qualidade duvidosa.
    Claro que alguns erros podem ser encontrados num livro, mas nada que se compare com erros encontrados em, praticamente, todos os capítulos. E o autor, principalmente quando é estrangeiro, nem sempre tem culpa que sua obra seja tratada desta forma. Cabe as editoras tomarem consciência das impressões negativas que este tipo de problema pode causar, incentivando a leitura de textos escritos de forma errada, proporcionando um conhecimento torto e propagando a ignorância para as pessoas.
    É triste por ser muito comum encontrar um livro que traz essa bagagem de inconsistências editoriais, onde se opta em investir no lado visual ao invés de concentrar um pouco de esforço no que tem depois da capa. Afinal, além de um livro bonitinho, com uma lombada impecável na estante, também queremos que ele tenha um miolo bem produzido, não é mesmo?

    quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

    Golem & o Gênio

    Chava é um golem, um ser criado através de magia, que tem como natureza as características dadas por seu criador. Ela é muito parecida com um ser humano normal, mas é feita de barro e tem uma ligação de obediência e servidão para com seu mestre. Pouco tempo após ser despertada, ela acaba perdendo sua ligação com seu mestre e, logo que sua ligação é desfeita, os sentimentos e pensamentos das outras pessoas a consomem, fazendo com que ela se sinta como se devesse resolver todos os problemas das pessoas a seu redor.
    Após começar a se adaptar à vida comum dos humanos, conseguindo um emprego e se relacionando com outras pessoas, Chava começa a conseguir controlar seus impulsos e seus atos, a fim de não levantar suspeitas sobre sua origem. Afinal, ela é um ser perigoso e, com apenas um encantamento, pode ser destruída.
    Ahmad é um djim, um ser feito de fogo, muito comum nos desertos sírios. Eles são invisíveis em sua forma natural, mas podem entrar no corpo de outros seres, numa espécie de possessão. Porém, estas visitas à outros seres podem causar sérios danos aos hospedeiros, além de prejudicar a si mesmos.
    Estes seres de fogo podem se classificar em categorias, sendo os djins os superiores da raça. Quando enfraquecidos se recuperam no calor e um de seus pontos letais é o contato com a água, pois ela pode apagar o fogo, que é a essência deles.
    Ahmad, há muitos anos, acabou sendo preso em um objeto por um tipo de mago ou curandeiro. Ao ser libertado por Arbeely, ele se descobre preso à forma humana, devido à uma algema de ferro em seu braço, e precisa de adaptar ao costume de viver em sociedade. Com um emprego numa oficina de consertos de utensílios que preenche seu tempo durante o dia, ele acaba tendo uma vida noturna levada à passeios pelas ruas e parques.
    Ambos, golem e djim, não precisam se alimentar ou dormir. Quando se encontram, iniciam uma amizade estranha, cheia de desconfianças e fascinação, recheada de passeios inusitados no meio da noite. Enquanto vão se conhecendo, surgem dúvidas sobre suas origens, criador e captor, até que, em uma noite especial, uma situação perigosa se desenrola e a amizade de ambos acaba abalada.

    O livro é bastante interessante. Tem uma pegada mais exótica, ambientada nas culturas judaicas e árabes décadas passadas, na cidade de Nova York. Todo o enredo é iniciado a partir da chegada de ambos protagonistas: o despertar da golem e a libertação do djim, então conhecemos o que eles são, como se incluíram à sociedade, quais as suas dificuldades, os problemas que enfrentam, os relacionamentos interpessoais e os conflitos interiores que travam. Por serem diferentes, é perceptível o contraste de uma personalidade em relação à outra.
    É interessante notar que o livro é contado por vários personagens, partindo de vários pontos diferentes para chegarem em momentos que dão total sentido à sua inclusão no enredo. Tem vários personagens que, aparentemente, não tem importância para a história, mas que acabam se revelando influentes em determinados pontos chave. Não há desperdícios na criação de personagens, apenas algumas passagens que deixam a desejar, sem possuir muita importância para a história.
    Contudo, o desenvolvimento da história e dos personagens é bem executado. Apesar dos poucos momentos massantes, o livro consegue entreter e contar um romance com elementos fantásticos bem divertido. A escrita da autora, Helene Wecker, e a intersecção das histórias faz com que a experiência seja agradável. O que me incomodou mesmo, foi a revisão do texto, que possui muitos erros gramaticais: palavras escritas erradas, artigos que não existem, incoerência entre sujeito e artigo ou verbo. Até palavras "grudadas" são encontradas. Em contraste a isso, o trabalho visual do livro está impecável! A capa é linda, o material é de ótima qualidade e as firulas são muito bem vindas.

    quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

    O que eu li em 2015

    Novo ano exibindo seus primeiros momentos... Novas metas sendo escritas no papel... Mas, não podemos deixar de olhar pra trás e ver tudo de bom que aconteceu.
    Em 2015, o blog passou por vários momentos. Foi o ano em que completamos nosso primeiro ano e que tivemos vários parceiros. Infelizmente, alguns deles acabaram ou trocaram de nome. Também foi o ano em que me dediquei a outros projetos, como o site Co-op Geeks, além de outros projetos pessoais.
    Por isso, este post será para lembrar todas as leituras realizadas ao longo do último ano, todos os livros, contos, HQ's e mangás que me propiciaram embarcar em diversas aventuras, suspenses, histórias de terror e romances.

    Os livros lidos em 2015 foram os seguintes, em ordem de leitura:

    1. As Crônicas de Nárnia (conclusão do último livro)
    2. O Menino do Pijama Listrado
    3. A Era Dourada
    4. Dois Mundos, Uma Paixão
    5. Dois Mundos, Um Destino
    6. A Luneta Âmbar
    7. Os Anões
    8. O trágico e Outras Comédias
    9. Gran Cabaret Demenzial
    10. Convergente
    11. Pitty - Cronografia: Uma Trajetória em Fotos
    12. Nêmesis
    13. Serial Killers: Made In Brazil
    14. Manicômio
    15. Anjo - A Face do Mal II: Ceifadores
    16. Havenoon: A Profecia
    17. O Jogo da Morte (Post original: Erebos - O Jogo da Morte)
    18. O Nome do Vento
    19. Contos de Fantasmas
    20. O Circo da Noite
    21. O Hobbit
    22. Os Filhos de Húrin
    23. A Imagem
    24. Maze Runner - Prova de Fogo
    25. A Última Canção de Bilbo
    26. Os Goonies (edição comum)
    27. Os Goonies (edição especial)
    28. Muncle Trogg: O Menor Gigante do Mundo
    29. O Ateneu
    30. Diário de um Zumbi do Minecraft: Um Desafio Assustador
    31. O Médico e o Monstro
    32. O Temor do Sábio
    33. Frankenstein
    34. Psicose
    35. A Tumba e Outras Histórias
    36. O Clã dos Magos
    37. A Aprendiz
    38. O Lorde Supremo
    Os contos foram:

    1. Chapeuzinho Vermelho
    2. As Cinco Sementes da Laranja
    3. A Cega
    4. O Quarto Branco
    5. Equador Morto
    6. Dragões de Simir
    7. Áurea
    Os mangás e HQ's lidos foram:

    1. One Piece #4
    2. Assim Falou Zaratustra
    3. Piet Peterson ou O Reino dos Imbecis - Era da Ferrugem
    4. Uzumaki: Cicatriz
    5. Uzumaki: Farol Negro
    6. Uzumaki: Caos
    7. One Piece #5
    8. Yu Yu Hakusho #1
    9. One Piece #6
    10. One Piece #7
    Se compararmos com o ano de 2014, o número de leituras foi superado por um número bem pequeno. Contudo, mais uma conquista realizada: superar o número de leituras de um ano para outro. Tentarei realizar esta proeza novamente este ano.
    O Skoob criou um infográfico bem bacana com as minhas leituras contabilizadas na rede social, para quem quiser dar uma olhada.
    Também deixo aqui os links para quem quiser me seguir nas redes sociais:

    E você, conseguiu ler mais que no ano anterior? Quais foram suas melhores leituras no último ano?
    Até a próxima página!

    quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

    3 Lançamentos mais desejados

    Todo mundo tem aquele livro que passa dia, passa mês, passa ano, e está sempre sonhando com seu lançamento. Não é muito comum um escritor demorar anos para lançar seu novo livro, sequência ou não de outro, mas acabam acontecendo. Às vezes, o que demora são as negociações para adquirir os direitos de publicação do livro, a tradução e edição, que acaba levando um tempo um pouco longo.
    Fiz um top 3 com os lançamentos que mais aguardo para 2016, se é que forem lançados.

    3. Resident Evil: Hora Zero
    Um destes livros é Resident Evil: Hora Zero, da escritora SD Perry. Este livro já foi lançado há muitos anos, mas só agora está chegando ao Brasil. É a sétima novelização escrito pela autora, acerca do universo Resident Evil, que é uma das franquias e/ou jogos que mais gosto na vida. Conta os fatos antecedentes à primeira história, com Rebecca Chambers e Billy Coen como protagonistas. Este livro está para ser lançado, mas não consegui encontrar uma data de lançamento ou qualquer informação sobre. O que sei é que deve ser lançado ainda neste trimestre. Anda logo Benvirá!

    2. Os Ventos do Inverno
    Outro livro que aguardo, e provavelmente muitos de vocês, é o sexto volume das Crônicas de Gelo e Fogo, do incrível George RR Martin. Dia 15 de março será aniversário de 4 anos desde o último livro lançado da série, Dança com Dragões. O novo livro deverá se chamar Os Ventos do Inverno e circularam notícias de que o livro será lançado este ano. Será que Martin nos entregará a tão aguardada sequência, a tempo da editora Leya editar o volume, antes que os spoilers corram soltos com o seriado da HBO?

    1. The Doors of Stone
    O livro que mais estou aguardando é o terceiro livo da trilogia Crônica do Matador do Rei. Ainda sem tradução aqui no Brasil, Patrick Rothfuss já nos deu o nome do livro: The Doors of Stone (As portas de Pedra, em tradução livre). O que esperamos agora é uma data de lançamento. Estou ansioso pelo término da história de Kvothe e descobrir o que está acontecendo enquanto ele conta seus feitos para o cronista.

    Só fico tranquilo pela certeza de que dois destes lançamentos aguardados serão épicos, devido aos ótimos livros criados pelos escritores. Mas que ficamos ansioso pelos lançamentos, não tem como negar.
    Quais os lançamentos mais aguardados para você?
    Até a próxima página!

    *Imagens retiradas da internet.
    diHITT - Notícias